CASA MORTUÁRIA DE BARRANCOS

CONCURSO PÚBLICO

O percurso é uma simbiose de espaço e tempo, um momento para reflexão, introspeção ou oração, em que existe um encontro entre a realidade física, do caminho, da envolvente, e da realidade metafísica, a razão, a crença e a inquietude. Independentemente do credo, o percurso faz parte do culto religioso, por oferecer este espaço e tempo para a união e para a contemplação.

 

O miradouro da Rua de São Bento, espaço de reunião e fruição da imensidão da paisagem, limite entre o mundano e sagrado, marca o início deste percurso, de onde, olhando para sudoeste, se vislumbra o olival ao fundo, interrompido pelos volumes brancos e solenes da Casa Mortuária, que se anuncia de forma subtil.

 

O edifício senta-se na colina, paralelamente ao rigor do muro branco do cemitério, agarrando a rua de São Bento com uma rampa, que mergulha em direção ao pátio de entrada do edifício, escondendo a imensidão esmagadora da paisagem e da terra.

 

A aproximação da vila é agora marcada por um edifício que olha humildemente a paisagem e que integra uma realidade de conjunto, marcando a sua presença como elemento integrado desta espécie de “acrópole” da vila de Barrancos.

 

 

 

 

Tipologia:

Equipamento

 

Localização:

Barrancos, Portugal

 

Cliente:

Camara Municipal de Barrancos - Concurso Público